Discover Boca do Inferno, one of the best surprises in Cascais

Visitar a bela Cascais e não conhecer a imponente formação rochosa da Boca do Inferno é perder uma das maiores surpresas e belezas da cidade. A Boca do Inferno é uma formação associada a um penhasco, que se localiza a oeste de Cascais e têm esse nome por causa das ondas do oceano que batem contra a face do penhasco violentamente, forçando seu deslocamento para um sistema de cavernas e pulverizando furiosamente o impacto para uma abertura mais acima.

Levado à letra o nome do lugar contradiz a sua enorme beleza, mas há muitos motivos para esta formação se chamar assim. Foram registados muitos acidentes neste local, desde quedas até mesmo gente que perdeu a vida pela curiosidade e por causa da intensidade das ondas. Em dias de forte agitação marítima as ondas podem ser assustadoras e a fama do lugar vem de dias assim, mas são momentos de pura beleza!

A Boca do Inferno é uma caverna onde as ondas desabam, e onde o oceano Atlântico bate antes de se transformar num caldeirão de espuma. A formação rochosa tem a sua própria plataforma de observação e tem sido o local favorito para observação de tempestades há mais de cem anos. No verão, as ondas mergulham na caverna aberta, mas durante as tempestades de inverno, toda a força do oceano é canalizada para o abismo, o que dá origem ao nome da formação rochosa.

Ela fica pertinho do centro de Cascais, localizada na borda oeste da cidade, quase ao lado da marina e muito próximo da famosa Casa Guia. Portanto, é fácil chegar a pé, mas também há muito estacionamento nesta zona e alguns restaurantes por perto.

Sua fama, seu passado, sua estreia no cinema

Esta zona ganhou ainda mais destaque e notoriedade em 1896 quando apareceu num dos primeiros filmes em movimento, chamado “Uma Caverna do Mar Perto de Lisboa”, o “filme atual” de 13 segundos, silencioso e que impressionou o público em todo o mundo com imagens dramáticas de ondas violentas que pareciam esculpir uma caverna.

Um dos episódios mais bizarros da história do Boca do Inferno refere-se ao praticante de ocultismo britânico Aleister Crowley. Diz-se que em setembro de 1930, Crowley inventou uma trama com o famoso poeta português Fernando Pessoa para fingir o próprio suicídio, a fim de escapar da sua então namorada. No entanto, três semanas após a sua “morte”, Crowley apareceu em Berlim.

No local existe hoje uma placa nas rochas inscrita com as palavras que dão conta da nota de suicídio em português.

Se vale a pena conhecer a Boca do Inferno? Claro que sim, pois a beleza do lugar é impressionante. Embora seja perigoso, na Boca do Inferno, existem caminhos que permitem aos turistas descer a face do penhasco e ver esta singular formação de ambos os lados. Mas atenção, porque o perigo está à um passo. Vale salientar que existe uma ciclovia que se estende para o Guincho que passa em frente à Boca do Inferno, vindo do centro de Cascais!

Scroll to Top